DICAS DO SEU OFTALMO

SAIBA MAIS SOBRE A SUA VISÃO
CATARATA

 

 

A CATARATA é uma alteração que ocorre na lente natural do olho (cristalino) que fica por trás da íris (que define a cor dos olhos). Na grande maioria dos casos essa alteração ocorre depois dos 50 anos, todavia pode-se nascer com catarata. Costumo dizer para os pacientes que como nossos cabelos mudam de cor com a idade, o cristalino também sofre alterações e vai perdendo progressivamente a transparência e ficando opaco. Contudo, existem muitas outras causas de catarata como: uso prolongado de corticoide, trauma ocular, inflamação dentro do olho (uveíte)... O tratamento é cirúrgico - realizada uma pequena incisão na córnea, o cristalino é fragmentado em pequenos pedaços e aspirado, em geral sem necessidade de pontos, e em seguida é implantada a lente intraocular. Sendo usado laser ou não durante a cirurgia, o resultado é basicamente igual e, atualmente, podemos obter excelentes resultados com uso de lentes especiais.

PTERÍGIO

 

O pterígio, popularmente conhecido na nossa região como "vilídia, é uma alteração na conjuntiva levando à formação de "carnosidade" que invade a córnea. Você sabia que o tratamento pode ser realizado sem pontos cirúrgicos e existem técnicas para evitar a recidiva!? Agende sua visita agora mesmo com Dr. Luís Alberto para orientações sobre o melhor tratamento e técnicas mais modernas para melhor conforto pós-operatório e melhor resultado.

LENTES DE CONTATO E USO DE MAQUIAGEM

 

Para complementar o visual para as baladas, as lentes de contato são interessante opção de correção visual. É muito importante saber usá-las corretamente:
1. Deve-se, primeiro, colocar as lentes de contato, antes de usar qualquer tipo de maquiagem ou creme nas mãos e no rosto. Só depois de posicionadas, estando bem confortáveis, é que se deve fazer a maquiagem.
2. No final do dia, ao remover a maquiagem, deve-se, primeiro, tirar as lentes de contato. Só depois é que a maquiagem deve ser removida.
3. Dê preferência à maquiagem que não seja à prova d'água, pois é muito resistente e pode aderir às lentes de contato danificando-as, além de ser muito difíceis de remover, sempre deixando resíduos nos olhos.

QUAL A FORMA CORRETA DE ADMINISTRAR COLÍRIOS?
  1. Antes de pingar o colírio, lave bem as mãos com água e sabão.

  2. Puxe a pálpebra inferior com o dedo indicador e polegar, e com a outra mão segure o frasco. Para facilitar a aplicação incline a cabeça para trás. Pingue o colírio sem encostar no bico dosador, para evitar sua contaminação.

  3. Feche os olhos por alguns segundos, pressionando levemente com o dedo indicador o canto nasal do olho. Com a compressão, a absorção através dos dutos lacrimais é reduzida, reduzindo o risco de vazamento do colírio para fora dos olhos.

MITOS E VERDADES

Qualquer pessoa pode ter glaucoma?

Verdade. Qualquer um pode ter glaucoma, mas é mais comum em pessoas de etnia negra ou asiática, em parentes de portadores de glaucoma, em idosos, portadores de alta miopia, usuários crônicos de colírios com corticoides e, provavelmente, diabéticos.

 

 
Só tem glaucoma quem tem a pressão intraocular elevada?

MITO. Há pacientes que apresentam glaucoma com pressão intraocular normal e outros com pressão intraocular alta. Portanto, cada paciente tem a sua pressão ideal, que deve ser definida por seu oftalmologista.

 

A pressão intraocular tem relação direta com a pressão arterial?

MITO. São duas pressões distintas. A pressão arterial é a existente dentro dos vasos sanguíneos e a pressão intraocular é a existente dentro do olho.

 

Existe relação entre a pressão intraocular e o uso de corticoides?

Verdade. O uso de corticoides aumenta a pressão intraocular, importante fator de risco para o desenvolvimento dos danos glaucomatosos. Por esta razão, só devem ser usados com recomendação médica.

Fumo e obesidade agravam o glaucoma?

Verdade. O fumo e a obesidade predispõem para o agravamento do glaucoma.

A pressão intraocular pode variar no decorrer do dia?

Verdade. A pressão intraocular é geralmente maior de manhã e diminui à tarde. Porém, este ciclo pode mudar de paciente para paciente. A pressão intraocular difere pouco nos dois olhos, mas o ideal é que ela esteja dentro dos limites da normalidade em ambos os olhos.